Factores que diferenciam o bom restaurante do restaurante bom?

Economia

bons-restaurantes-pagar-pouco-dinheiro

Considero-me uma pessoa com gostos dificeis de agradar, é um problema que passeia comigo por todo lado desde os tempos de míudo. Apesar de actualmente ainda ter essa limitação na escolha das refeições diárias, existe o facto que tento minimizar essa situação. Por isso, quando almoço fora ou janto fora, tenho sempre a preocupação de escolher um restaurante que tenha várias opções que me agrada.

O artigo que escrevo agora, é relativamente aos 2 últimos jantares de comemoração de aniversários,  referente ao jantar de aniversário de 1 amiga da minha namorada, e o mais recente jantar de aniversário dum grande amigo meu de longa data.

O primeiro jantar de aniversário, foi realizado mais ou menos à 2 ou 3 semanas atrás, num requintado e muito conceituado restaurante localizado na zona da Foz, no Porto. A nível de decoração, luz, ambiente, e conforto, é óbvio que tem nota máxima, trata-se de um restaurante um pouco pequeno mas com excelente ambiente (sem ruídos, barulhos, televisões ligadas, pessoas não falavam alto, etc).

A refeição, que até nem foi escolhida por mim (cheguei um pouco mais tarde), era baseada em fondue de carne, acompanhada de batata frita, e já não me recordo se tinha arroz. Pão era muito pouco, metade ou nem isso de 1 pão. O Fondue estava delicioso, provar diversos tipos de carne de vaca, porco, e frango, à mistura de diversos molhos de mostarda natural, alho, marisco, etc. Tudo isto regado com 1 ou 2 latas de ice-tea. No final, tive a infelicidade de pedir 1 mousse de limão extremamente doce, a qual até deixei metade por digerir.

Entretanto chegou a conta, e afinal parece que também se pagou a decoração e afins. Por pouca comida, e tanto dinheiro. Cada pessoa teve que desembolsar 20 euros.

E onde se menos esperava…..

Passado sabado foi o jantar de aniversário dum dos meus melhores amigos, e de longa data. No ínicio, nem sabia onde iria ser o jantar, nem sabia qual o restaurante, nem sabia quem ia, etc. Mas isso já é hábito vindo do aniversariante em questão. Ehehehe.

Logo para começar, tivemos que andar uns 20 ou 30 kms, ainda por cima em autoestrada (portagens a somar) até chegarmos á Grandra (Valongo). Foi-me dito pouco antes que iria ser numa churrascaria.

Quando chegamos, deparei que não era churrascaria, mas sim adega. Um restaurante estilo “tasca”. Os meus pesadelos de comida seleccionada começaram a surgir, comecei imediatamente a pensar “estou desgraçado, não vai haver pratos que me agrade, e vou passar 1 fome danada.”

Na mesa havia logo melão e presunto, como entradas, juntamente com pão. Enquanto os restantes convidados não chegavam (sim, desta vez eu não tinha sido o último a chegar), as entradas deram logo saída. Entretanto chegaram os últimos convidados, e começamos a seleccionar o que iríamos pedir de seguida.

Pedi 1 dose de picanha (preço da dose: 12 euros) que serviu muito bem para mim e para a minha companheira, 2 ou 3 latas de fanta ananás, pão, salada, etc. Posso dizer que enchi o prato 2 vezes, e ainda sobrou picanha na travessa.

No final, e após devorar bolo de aniversário, chegou a conta e para meu espanto, ficou-se pelos 22 euros (a dividir por 2 pessoas), portanto só paguei 11 euros por 1 refeição saborosa e satisfactória.

Apesar de ter feito alguns quilómetros, portagens, e apanhar frio no caminho a pé do carro para o restaurante, valeu bem a pena trocar o restaurante bom (Foz) pelo bom restaurante (Gandra). É que uma simples troca de palavras também origina uma troca de boas refeições, sobretudo se o preço também nos agradar.